Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250.000 – BC250


1.   Objetivos
O projeto BC250 objetiva prover a sociedade de um mapeamento planialtimétrico de todo o território brasileiro, na escala de 1:250.000, através de uma base cartográfica contínua, compatível com os requisitos de acurácia do Sistema Cartográfico Nacional (SCN) e adequada aos padrões e normas da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE).
2.   Descrição do produto
Este produto do mapeamento terrestre corresponde à representação cartográfica, na forma de um conjunto de dados geoespacias para a escala de 1:250.000, dos elementos geográficos de referência do território nacional.
O produto possui uma cobertura que abrange todo o território nacional e utiliza como insumo imagens de satélite, informações obtidas em campo levantadas pelas unidades descentralizadas do IBGE, bem como informações produzidas por órgãos setoriais dos governos federal, estaduais e municipais.
Estão contempladas as seguintes categorias de informação: Hidrografia, Sistema de Transporte, Energia e Comunicações, Abastecimento de Água e Saneamento Básico, Estrutura Econômica, Localidades e Limites.
3.   Características técnicas
O produto BC250 segue o padrão de estruturação e modelo de dados geoespaciais, definido pela CONCAR para a INDE, da Especificação Técnica para Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais (ET-EDGV), em sua versão 2.0.
Os dados estão armazenados no sistema de coordenadas geográficas, com referencial geodésico SIRGAS 2000. Como forma disponibilização à sociedade foram gerados arquivos nos formatos Geodatabase (ESRI), dump do PostGIS (para o QGIS), bem como criado o acesso para consumo das informações por geoserviços através da página da INDE.
4.   Diferenciais da Versão
Primeira versão em um único conjunto de dados, padronizado, disponível para todo o território nacional na escala de 1:250.000.

Lançamento – QGIS 2.0 Dufour

"É com grande satisfação que anunciamos o lançamento oficial da versão 2.0 – Dufour do QGIS!"

– The QGIS Team! (anúncio feito hoje, 20/09/13 por Tim Sutton – QGIS Project Steering Committee Member).
Como previsto, o lançamento ocorreu durante o FOSS4G 2013 (http://2013.foss4g.org) em Nottingham, Inglaterra.

"I then suggested "Dufour", beside being a very influencial swiss cartographer it is also the highest mountain in Switzerland"

As versões do QGIS 2.0 (estável) e 2.1 (Master, para desenvolvedores) estão disponíveis para Sistemas 32 e 64 bits.

A nova página do Projeto QGIS está publicada: http://www.qgis.org (em sua nova versão).

O ambiente de análises SEXTANTE vem agora incorporado ao QGIS (Menu > Processamento) e traz o SAGA (Análises Espacial, de Terreno e Estatísticas) e Orfeo Toolbox (Processamento Digital de Imagens) junto com o próprio QGIS.

Inclusive na versão para Mac OS X, que agora só é necessário instalar o GDAL Complete 1.10 framework package e o QGIS 2.0.1-1 for Lion & Mt Lion que terá tudo funcionando (testado e aprovado, todo o QGIS e o SAGA funcionam maravilhosamente bem em um Macbook Pro).

Cartas Topográficas

Nova redação do Decreto n° 89.817 (Normas Técnicas da Cartografia Nacional), com as alterações efetuadas pelo Decreto 5334/2005:
ftp://geoftp.ibge.gov.br/documentos/geodesia/projeto_mudanca_referencial_geodesico/legislacao/decreto_89817_nova_redacao.pdf
Resolução do Presidente do IBGE Nº 1/2005 (Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro):
ftp://geoftp.ibge.gov.br/documentos/geodesia/projeto_mudanca_referencial_geodesico/legislacao/rpr_01_25fev2005.pdf

IBGE lança nova base cartográfica em escala 1:250.000


A Base Cartográfica para o território nacional em escala 1:250.000 (BC250), que faz parte do projeto SIGBRASIL, é um projeto pioneiro no Brasil, desenvolvido pelo IBGE. Referência cartográfica para as ações de planejamento, monitoramento e atualização das informações dos recursos naturais do país, a nova escala (em que 1 cm no mapa significa 2,5 km no terreno) possibilita uma visualização muito mais detalhada do que a escala anterior de 1:1.000.000. A BC250 está disponível em formato shape, que permite utilização em programas de sistema de informações geográficas (SIG) no link: ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapeamento_sistematico/base_vetorial_continua_escala_250mil
Fonte: IBGE Comunicação Social, 20 de agosto de 2012.


Estão disponíveis as Cartas Topográficas do Mapeamento Sistemático (em diversas escalas, principalmente 1:50.000) em formato raster (Folhas Topográficas completas escaneadas) na Biblioteca Digital do IBGE: Coleção Digital: Mapas

Global Administrative Areas Database – GADM

GADM é um banco de dados espacial da localização das áreas administrativas do mundo (ou limites administrativos impostos) para uso em GIS e softwares similares.
Áreas administrativas neste banco de dados são as fronteiras dos países e subdivisões de nível inferior, como províncias, departamentos, bibhag, Bundesländer, daerah istimewa, fivondronana, Krong, landsvæðun, Opština, sous-prefeituras, municípios, e thana.
O GADM descreve onde estas áreas administrativas estão (as "características espaciais"), e para cada área ele fornece alguns atributos, como o nome e os nomes variantes.
Com poucas exceções, a subdivisão de segundo nível já foi mapeado para todos os países (ver estes mapas por nível de subdivisão).
A versão atual do GADM delimita 556,049 áreas administrativas (ou 218,238, se contar apenas o nível mais baixo para cada país).
Os dados estão disponíveis como shapefile, geodatabase ESRI, RData, e formato do Google Earth kmz.
Os shapefiles podem ser usado pela maioria dos softwares de mapeamento e "SIG", você pode baixar um programa gratuito como o QGIS ou DIVA-GIS. Os arquivos RData podem ser usados no R com o pacote ‘sp‘ carregado.
Você pode baixar os dados por país ou o mundo todo. Nosso objetivo é mapear as áreas administrativas de todos os países, em todos os níveis.
Nós usamos uma alta resolução espacial, e um extenso conjunto de atributos para cada aspecto espacial.
Este é um projeto sem fim, mas estamos felizes em compartilhar o que temos até agora.
Por favor, contribua da melhor maneira que você puder, nos enviando uma mensagem para apontar erros, ou melhor ainda, para enviar um arquivo melhor para um país de seu interesse.
Fontehttp://www.gadm.org/


Mapas IBGE > Divisão Administrativa do Brasil
Mapa de Municípios 2010ftp://geoftp.ibge.gov.br/malhas_digitais/municipio_2010
Setores Censitários 2010: ftp://geoftp.ibge.gov.br/malhas_digitais/censo_2010/setores_censitarios
Os resultados do Censo 2010 podem ser obtidos na página http://www.censo2010.ibge.gov.br onde o IBGE colocou os atalhos para os Servidores FTP onde estão armazenados os dados geográficos e estatísticos.
Setores Censitários são a menor divisão territorial adotada pelo IBGE e eles contém todas as outras divisões (País > Região> Estado > Município > Distritos > Bairros > Setores Censitários).
Use um programa gerenciador de FTP para baixar os dados, é muito mais pratico (eu recomendo o complemento no Firefox chamado FireFTP).

Cartas Topográficas do Paraná

Estou postando novamente, para dar mais destaque, para quem ainda não havia encontrado o link na postagem sobre Cartas Topográficas:

"Nesta área encontram-se disponíveis Cartas Topográficas Rasterizadas, em formato TIFF e/ou JPG, não georreferenciadas,  com exceção da escala 1:250.000 que possui dados vetoriais georreferenciados, no formato DWG. As cartas estão organizadas por escala e Mapa Índice (MI).Ressalva-se que o acervo em formato digital das escalas 1:100.000 e 1:50.000 não se encontram completos, todavia, o ITCG busca atualizar os mesmos assim que possível."
Acessehttp://www.itcg.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=51
O conteúdo está disponível de forma gratuita, devendo-se sempre respeitar os direitos autorais e citar a fonte em todos os trabalhos em que se utilizarem essas bases.

Vetorização de Cartas Topográficas

Página do IBGE onde se encontra a orientação para produção sistemática de mapas:
http://www.ibge.com.br/home/geociencias/cartografia/vetori.shtm
http://www.ibge.com.br/home/geociencias/cartografia/validacao_da_vetori.shtm
Por se tratar de um documento, todo mapa deve ser produzido seguindo as normas e orientação do IBGE (e do Concar), pois produzir material cartográfico sem o mínimo conhecimento ou cuidados técnicos incorre em crime (de adulteração, falsificação, e outros que podem ser encontrados no Código Penal Brasileiro). Em resumo, como a cartografia é um dos pilares do geoprocessamento (e dos SIG, que são a materialização destes), é preciso seguir todas as orientações e normas referentes à produção e validação de mapas (mesmo os digitais).

Para tornar o assunto mais ameno, um site interessante que eu encontrei quando procurava um mapa indice da articulação das cartas 1:50.000 do Estado de São Paulo (é e acabei encontrando esse site do Paraná):
Instituto de Terras, Cartografia e Geociências – ITCG

Cartas Topográficas

"Nesta área encontram-se disponíveis Cartas Topográficas Rasterizadas, em formato TIFF e/ou JPG, não georreferenciadas, com exceção da escala 1:250.000 que possui dados vetoriais georreferenciados, no formato DWG. As cartas estão organizadas por escala e Mapa Índice (MI).
Ressalva-se que o acervo em formato digital das escalas 1:100.000 e 1:50.000 não se encontram completos, todavia, o ITCG busca atualizar os mesmos assim que possível."
É isso aí, se você precisava de um mapa topográfico de alguma região do Paraná é só baixar e vetorizar (seguindo as normas oficiais da cartografia brasileira, hein!).

Base Cartográfica Digital Contínua da Amazônia Legal na escala 1:100.000

O projeto, coordenado pelo Departamento de Zoneamento Territorial da Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável, consiste na elaboração da Base Cartográfica Digital Contínua da Amazônia Legal na escala 1:100.000 que passará a integrar o Sistema Cartográfico Nacional. Este projeto foi executado pela Diretoria de Serviço Geográfico, do Exército brasileiro, e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e foi um dos grandes incentivadores à construção da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE), estabelecido pelo Decreto 6.666 de 2008. Como ponto de partida, foi feita a digitalização, atualização e validação das bases cartográficas analógicas elaboradas pelo estados que compõem a Amazônia Legal. Posteriormente, foram produzidas cartas para as áreas com vazios cartográficos, e estas também serão incorporadas à Mapoteca Nacional Digital da CONCAR…..
Continue lendo em: http://mapas.mma.gov.br/mapas/aplic/cartoamazonia/index.htm

Cartas Topográficas

O IBGE é o orgão oficial da Cartografia do Brasil e disponibiliza cartas topográficas do território nacional gratuitamente na forma vetorial (digitalizada), em diversas escalas. A maioria está disponível na escala 1:100.000, mas com sorte pode-se encontrar também em 1:50.000.
http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/download/arquivos/index1.shtm