6 anos - mais de 25 turmas formadas - 100% presencial - aulas práticas - São Paulo/SP e in Company

Calendar

São Paulo - SP / Brasil.

segunda-feira, setembro 29, 2014

quinta-feira, setembro 25, 2014

Alternativa ao OpenLayers no QGIS: ArcGIS Online

O grupo de usuários do QGIS da Irlanda publicou um método para adicionar o ArcGIS Online global raster basemap no QGIS para usar como uma alternativa ao complemento OpenLayers (que muitos tem relatado problemas no uso dele):
Dos serviços Servidores de Mapas da ESRI, que usam os padrões Representational State Transfer (REST) e Simple Object Assess Protocol (SOAP).
Vetores com camada base do ESRI World Imagery via Terminal Python.
Basta copiar e colar o seguinte código no Terminal do Python no QGIS e pressionar Enter (Complementos – Terminal Python):
qgis.utils.iface.addRasterLayer("http://server.arcgisonline.com/ArcGIS/rest/services/World_Imagery/MapServer?f=json&pretty=true","raster")
Ao contrário de imagens baixadas pelo plugin OpenLayers o mapa base ESRI World Imagery é um raster verdadeiro, que tem atributos que são totalmente editáveis, por exemplo, o brilho, modo de mistura e transparência podem ser ajustados.
ESRI World Imagery também podeser impresso em uma resolução muito alta com outras camadas QGIS no mapa e sem deslocamento em relação a outras camadas, um problema evidente com o OpenLayers que não usa reprojeção "On the Fly" e só imprime camadas Google e do Bing em uma resolução baixa. É um mapa com base aérea ideal.

*Essa postagem é uma tradução da publicação original (indicada pelo blog QGIS UK User Group) da postagem do Ireland QGIS User Group Blog, acesse:

quarta-feira, setembro 24, 2014

Liberando os dados SRTM com 1 arcseg - 30x30m

Presidente Obama anuncia novas ações para fortalecer a resistência Global às mudanças climáticas.

Liberando poderosos novos dados para permitir o planejamento para a resiliência

Para capacitar as autoridades locais para planejar melhor os impactos das mudanças ambientais graves, como seca, recuo glacial, inundações, deslizamentos de terra, tempestades costeiras, salienta agrícola e desafios relativos a saúde pública, hoje a National Aeronautics Space Administration (NASA), Agência Nacional de inteligência geoespacial (NGA) e o US Geological Survey (USGS), como parte de um compromisso contínuo para abrir dados e partilha através do Grupo Intergovernamental sobre observações da terra de dados internacionais, irá lançar uma coleção de conjuntos de dados de elevação de alta resolução para a África.
Conjuntos de dados, abrangendo outras regiões globais serão disponibilizados no prazo de um ano, com o próximo lançamento de dados, fornecendo informações mais precisas de elevação para México, América Central e do Sul, e o Caribe.
Até agora, dados de elevação para África foram livremente e publicamente disponíveis apenas na resolução de 90 metros.
Os conjuntos de dados a ser lançados hoje e no decurso do próximo ano — que são baseados em dados coletados por sensores desenhado por uma parceria internacional e transportadas em ônibus espacial dos EUA — resolver a 30 metros e será usado em todo o mundo para melhorar ambiental monitoramento, pesquisa de mudança climática incluindo avaliações de impacto da subida do nível do mar e o suporte de decisão local.
Esses conjuntos de dados estão sendo disponibilizados através de uma interface fácil de usar no site de Earth Explorer do USGS.
Com o compromisso da Fundação mundo seguro e em colaboração com o Comité sobre satélites de observação da terra, USGS, NOAA e NASA planejam oferecer oficinas regionais e treinamentos on-line para permitir mais usuários tirar proveito desses recursos de dados.
http://www.usgs.gov/blogs/features/usgs_top_story/enhanced-elevation-data-to-sharpen-global-focus-on-climate-issues
Land cover data from the Landsat 8 satellite combined with enhanced SRTM 30-meter data makes a much improved map in three dimensions along Senegal-Guinea border. USGS, 2014.

sábado, setembro 13, 2014

QGIS para Universidades e Colégios Técnicos

Desenvolvemos Cursos de QGIS e outros programas de SIG e PDI livres tanto presencial na cidade de São Paulo - SP como treinamento In Company para Empresas privadas e Instituições públicas.
Também temos o projeto de levar esses Cursos de QGIS para Universidades, Institutos Tecnológicos e Colégios Técnicos, com aulas para grupos formados por Professores, estudantes de Pós-Graduação e Estudantes de graduação, tecnologia e cursos técnicos.
Nossos mais recentes trabalhos foram com a UFMS - Universidade Federal de Santa Maria e o Colégio Politécnico no Rio Grande do Sul e na UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.



terça-feira, setembro 09, 2014

Plataformas de Aprendizagem Online

Para quem gosta de cursos online para aprendizagem de SIG, essas são ótimas opções totalmente gratuitas:

  1. Curso de QGIS



IGET - India Geospatial Education and Training.

GST 101 - Introduction to Geospatial Technology Using Quantum GIS


  1. Curso de R - Project for Statistical Computing



OpenIntro - educational materials that are open and innovative.

*Copiar conteúdo de forma integral é crime e antiético, além de falta de (bom) caráter.
Se quiser publicar a notícia em seu blog, é obrigatório citar a fonte, o autor e colocar o link para a postagem original.
Respeite os direitos dos outros para que seus direitos sejam respeitados.

sexta-feira, junho 27, 2014

Lançamento do QGIS 2.4 - Chugiak!


Chegou! Foi lançado hoje o QGIS 2.4 Chugiak! (14:00-UTC)
Por enquanto só a massa sovada do pão (código-fonte), quem tiver habilidades culinárias (conhecimentos de programação) pode "assá-la" (compilar o código) usando o CMake.
Até segunda deve começar a serem disponibilizados os pãezinhos quentinhos (binários compilados) nos sabores Windows, Ubuntu Linux e Mac OSX!
Nós da Comunidade QGIS Brasil conseguimos traduzir para o português brasileiro (pt_BR) quase 100% do programa e estamos na finalização da tradução do Guia do Usuário e da página Web oficial do QGIS também!

quarta-feira, junho 11, 2014

Razões para se utilizar o QGIS

Censo de usuários do QGIS no Brasil. 10/06/2014.


Aqui estão alguns motivos para você usar o QGIS:

  1. É livre, como em lanche grátis. Instalando e usando ele custa para você a grande quantia de zero reais! Sem pagamento inicial, sem pagamentos posteriores, ou seja, absolutamente nada! A licença garante o uso livre e sem quaisquer custos.
  2. É livre, como em liberdade. Se você necessitar de funcionalidades extras no QGIS você pode fazer mais do que só ter esperanças de que sejam incorporadas no próximo lançamento. Você pode dar suporte ao desenvolvimento de uma funcionalidade ou adicioná-la você mesmo se tiver habilidade em Programação.
  3. Está em constante desenvolvimento. Porque qualquer um pode adicionar novas funções e melhorar as já existentes, o QGIS nunca estagnará. O desenvolvimento de uma nova ferramenta pode acontecer tão rápido quanto você precisar.
  4. Ajuda e documentação extensivas estão disponíveis. Se você não está preso a nada, você pode recorrer à extensa documentação, ao seu colega usuário de QGIS ou algum dos Desenvolvedores e às Listas de Discussão do QGIS na Web.
  5. Multiplataforma. O QGIS pode ser instalado em Sistemas Mac OSX, Windows e Linux e Android*. Também tem versões para Sistemas Windows 32 bits (3 GB de RAM) e 64 bits (192 GB RAM).
  6. Base sólida. Uma grande quantidade de empresas de consultoria e treinamento tem seus modelos de negócios embasados exclusivamente em programas Open Source, sendo que as que trabalham com SIG usam e participam do desenvolvimento do QGIS como ferramenta de escritório no mundo todo.
  7. Número de usuários crescente. Devido o QGIS ser um programa amigável e eficiente, um número cada vez maior de usuários está adotando ele como seu SIG de escritório. Instituições públicas como INCRA, IBGE, ECT-Correios, MDA (Programa Terra Legal), MMA (CAR) e IBAMA, também adotaram o QGIS como SIG para a produção de mapas, análise de dados, publicação e para gerenciar Servidores de Mapas na Web (WMS) e conexão com bancos de dados espaciais livres com o PostGIS.
  8. Comunidade Acadêmica. O QGIS está sendo usado por Universidades e Colégios Técnicos como ferramenta de aprendizado de Geoprocessamento e Sistemas de Informações Geográficas (GIS), na confecção de Mapas e na produção Científica (com publicação de artigos, teses e dissertações) utilizando o QGIS. Grupos de Pesquisa nas Universidades UFSM-RS, UFMS, UFSC e USP estão usando o QGIS.
  9. Ainda tem mais por vir! aguarde ...
Acesse o site oficial e conheça mais sobre o Projeto QGIS: http://www.qgis.org

Comparativo entre o QGIS e outros SIGs

Mais uma vez vem ao debate a estória sobre qual o melhor programa de SIG?
Ou quem é melhor: o QGIS ou o ArcGIS? (e porque não o MapInfo, o Global Mapper, o Geomedia, etc.).
Talvez seja por força de justificar a aquisição ou adoção de um programa por parte de uma Empresa ou Instituição (no caso das públicas isso é recorrente, pois tem a recomendação do uso de "softwares livres").
Eu usava o ArcInfo Workstation em estação Unix em 1996 e no PC o IDRISI for DOS e ArcView 3 com Windows 3.11 e mais tarde o NT 4.0 o QGIS só veio em 2002 (bem limitado).
O QGIS ganhou substância com o lançamento da versão 1.0 "Kore" (ainda usava o nome de Quantum GIS e o sobrenome de alguma lua de Saturno ou Júpiter).
Desde o nascimento, o QGIS tinha a habilidade de se conectar (sem muita integração) ao GRASS GIS e o servidor de banco de dados PostgreSQL com sua extensão espacial PostGIS (realmente, era essa a sua finalidade: ser um visualizador gráfico de dados armazenados em PostGIS).
Também usava o formato de arquivos geoespaciais Shapefile (arquivo de armazenamento vetorial) da ESRI, mas que havia sido aberto pelo acordo do Open Geospatial Consortium (OGC - padrões abertos de dados geoespaciais OpenGIS) e o Geotiff para armazenamento de dados raster (Imagens / Matrizes) também OpenGIS.
Ele faz parte dos programas geoespaciais Open Source de desenvolvimento colaborativo com suporte e disseminação da Fundação Geoespacial (OSGeo).
Com o lançamento da versão 2.0 - Dufour, o QGIS cresceu em forma e conteúdo, passando a rivalizar com os programas líderes de mercado, como se auto intitula o ArcGIS da ESRI.
... Fontes:
http://qgis.org/pt_BR/site
http://qgisbrasil.org
http://www.qgistutorials.com/en/index.html
http://en.wikipedia.org/wiki/QGIS
http://www.osgeo.org